Campinas/SP - Quarta, 28 de junho de 2017 Agência de Notícias e Editora Comunicativa Ltda.  
 
 
  home
  comunicativa
  profissionais
  publicações
  clientes
  projetos
  entrevistas
  baú de notícias
  clippings
  galeria de fotos
  ensaios
  extra pauta
  cadastre-se !
  contato
Digite a expressão que deseja buscar
Cadastre-se e receba, por e-mail, as últimas do ClickNotícia.


Rua Alberto Belintani, 41
Telefone: (19) 3256-4863
Fax: (19) 3256-9059
CEP: 13087-680
Campinas-SP

 

CLIPPING: COMUNICATIVA

Correio Popular - Caderno C - Capa - Boa Notícia


Leia abaixo matéria na íntegra

É uma história de luta pela igualdade social. Uma guerra em que a fome não é uma questão exclusivamente física, mas espiritual, e as armas de combate são a arte e as perspectivas de um futuro melhor. Há quase 12 anos driblando as dificuldades, a Casa de Cultura Tainã, entidade cultural e social sem fins lucrativos, começa a somar vitórias.

A primeira delas foi a aprovação do projeto Orquestra de Tambores de Aço, formada apenas por jovens carentes, através da lei Rouanet, no ano passado. A nova conquista, talvez uma das mais importantes, é a permissão oficial do uso do terreno ocupado pelo espaço cultural, na Praça dos Trabalhadores, da Vila Padre Manoel da Nóbrega, publicada no Diário Oficial do Município no inicio do mês.

O terreno, que compreende uma área de 6.555 metros, é utilizado pela instituição há seis anos. “Isso põe fim à nossa insegurança, porque antes de sermos transferidos para este local ficamos quase sete anos no Espaço Cobal, transformado em depósito de material escolar. Agora temos estabilidade e vamos investir, inclusive, em novos projetos como a primeira Universidade Livre do pais”, comemora Antônio Carlos Santos da Silva, de 50 anos, o TC, como é mais conhecido.

O primeiro passo, após a noticia, está sendo planejar a reforma do lugar - um antigo centro esportivo - avaliada em R$ 150 mil e que será custeada através de recursos cedidos pela Prefeitura, aprovados no Orçamento Participativo. O projeto deve ter inicio em março, quando será feito processo de licitação para definir a empresa responsável pela obra.

Segundo TC, os planos vão transformar o local realmente numa casa de cultura. “Queremos criar salas para oficinas e um auditório onde realizaremos espetáculos de teatro, cinema e dança”, antecipa. Fundada em 1989 como Associação de Moradores da Vila Castelo Branco, a Casa de Cultura Tainã atende mensalmente 450 crianças e adolescentes, além de outras 1.350 pessoas através de atividades especificas como oficinas e apresentações.

O espaço desenvolve projetos como o grupo Nação Tainã (formação de educadores focados na cultura popular e na memória das comunidades de origem, além de pesquisar e produzir documentação desta cultura); Fábrica de Música (aulas de música e, inclusive, confecção de instrumentos); Projeto Saci e CDI (aulas de informática, incluindo o ensino do uso a internet); ou a biblioteca Lidas e Letras.

Em comum, estão todos ligados com a democratização da cultura e, principalmente, preservação da cultura popular “A população carente vive em desvantagem e é isso que queremos combater. Ensinamos informática, por exemplo, para que tenham mais chances no mercado de trabalho. Acho importante quando as pessoas falam no combate à fome física, mas não podemos esquecer do alimento da alma”, defende TC.

Quanto ao trabalho de resgate das manifestações populares, como a folia de reis ou rodas de samba, a Casa de Cultura Tainã é um dos grupos envolvidos com o projeto de Maracatu (típico do Recife), junto com o Urucungos, Savuru, Tambor Menino e grupo Teatro Solano Trindade, que reserva uma grande apresentação para dia 1º de março, que envolverá mais de 250 pessoas, na abertura do carnaval de rua de Campinas. O evento será às 18h, na avenida Francisco Glicério.

Por conta disso, a Casa de Cultura Tainã está fabricando cerca de 30 tambores de alfaias, com apoio da Secretaria de Cultura, esporte e turismo. “Nossos instrumentos, muitas vezes, superam a qualidade de marcas que estão no mercado”, vangloriase TC que, aliás, é o único construtor de tambores de aço do país, instrumento conhecido por steel pan, que chega a levar até seis meses para ficar pronto mas que tem um som único, muito semelhante aos instrumentos de cordas.

Foi dele a idéia da criação da primeira Orquestra de Tambores de Aço do Brasil, projeto aprovado pela lei Rouanet que permite dedução nos impostos pagos ao governo, avaliado em R$ 585 mil, devido a necessidade de comprar instrumentos no exterior. A Sanasa é a primeira empresa a fazer uso do beneficio e vai doar cerca de 12% do total — a lei exige 20% do valor arrecado para que a Casa de Cultura Tainã faça uso da verba. Segundo TC, a idéia é trabalhar só com adolescentes da periferia oferecendo aulas de música, ritmo, harmonia, canto e execução dos instrumentos.

« voltar



   Clicknotícia® by Comunicativa    Política de Privacidade Desenvolvimento: Webcompany®