Campinas/SP - Sexta, 24 de novembro de 2017 Agência de Notícias e Editora Comunicativa Ltda.  
 
 
  home
  comunicativa
  profissionais
  publicações
  clientes
  projetos
  entrevistas
  baú de notícias
  clippings
  galeria de fotos
  ensaios
  extra pauta
  cadastre-se !
  contato
Digite a expressão que deseja buscar
Cadastre-se e receba, por e-mail, as últimas do ClickNotícia.


Rua Alberto Belintani, 41
Telefone: (19) 3256-4863
Fax: (19) 3256-9059
CEP: 13087-680
Campinas-SP

 

PROTESTE DENUNCIA REPELENTE À ANVISA  


Desde 2008 a Comunicativa passou a atuar no mercado de comunicação com características próprias de Agência de Notícias e Editora. Como Agência ela se propõe a levantar informações de interesse jornalístico, na macro região de Campinas, espontaneamente ou por demanda para difundí-las através do site www.clicknoticia.com.br. Como Editora ela coloca à disposição de instituições públicas ou privadas o seu corpo de profissionais para produção de publicações jornalísticas nas mídias hoje disponíveis. Ao conhecer a empresa e suas necessidades no setor de comunicação, podem ser sugeridas novas ferramentas através da elaboração de um Plano de Comunicação, incluindo jornal para os funcionários, publicações institucionais ou específicas para os clientes, abastecimento de sites, entre outras. Esse trabalho é pautado pelos critérios técnicos e a ética das notícias e suas conseqüências. A Comunicativa foi criada como prestadora de serviços jornalísticos em abril de 1996 em função da demanda de profissionais capacitados para interrelacionar o segmento corporativo e os veículos de comunicação jornalística. Fones: (19) 3256 4863 / 3256 9059


»
Baú de Notícias
» Galeria de Fotos

» Clipping

   



30/10/2017 - O verão está próximo e, com ele, insetos inconvenientes começam a aparecer mais frequentemente, causando desconforto ao picar a pele e que podem transmitir doenças como a dengue, zika e chikungunya, pelo Aedes aegypty, por exemplo. De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, só no último ano, cerca de 729 pessoas morreram em decorrência dessas três doenças.

Pensando no bem-estar do consumidor que compra o repelente com o objetivo de resguardar-se, a PROTESTE fez um teste para conferir a qualidade desse produto tão procurado. De acordo com os resultados, ficou comprovado que todos os avaliados são eficazes contra os mosquitos. No entanto, alguns protegem por menos tempo que o indicado na embalagem, o que representa um grande perigo à população, que acredita estar protegida por um tempo mais longo.

A pesquisa avaliou marcas que utilizam componentes como Deet, Icaridina e IR3535. Este último, por sinal, é o menos tóxico. Vale ressaltar que essas substâncias podem causar reações indesejáveis, sobretudo alérgicas, em peles mais sensíveis.

Algumas têm efeitos já bem conhecidos, mas ainda não há estudos conclusivos sobre a ação de todos os ativos repelentes em organismos mais sensíveis, como os de crianças e gestantes. Por isso, é importante que a escolha seja feita com cuidado.

RESULTADOS:

Quanto à rotulagem obrigatória, todos os produtos estão de acordo com a legislação para cosméticos e repelentes. A maior parte deles apresenta o rótulo legível.

No Super Repelex, porém, as letras são muito pequenas, o que dificulta bastante a leitura e, por isso, ele foi considerado aceitável nesse item. Johnson´s Baby, SBP e Out Inset foram avaliados como bons.

O Exposis Extreme é o produto que protege por mais tempo (nove horas), seguido pelo Exposis Infantil, que pode impedir picadas de mosquitos durante oito horas.

Decepcionante:
O problema é que, apesar de oferecerem boa proteção, ela não condiz com a informada no rótulo. O Baruel, por exemplo, garante proteger por 13 horas, cerca de cinco a mais do que o tempo verificado no teste da PROTESTE. Foi a maior diferença encontrada entre os produtos avaliados. O Isdin Xtrem age por cinco horas e 15 minutos. No entanto, a embalagem informa que esse tempo de proteção é de sete horas.

O Exposis, nas duas versões, também protege por período inferior ao que está informado no produto. O infantil age por duas horas a menos e o Extreme, por uma hora. Assim, os quatro repelentes que apresentaram essa variação foram considerados fracos no critério veracidade do rótulo. Desse modo, o consumidor, ao confiar na informação do rótulo, compra e utiliza um repelente acreditando estar resguardado contra os mosquitos por mais tempo do que realmente está.

Esse tipo de conduta do fabricante é considerado oferta enganosa, segundo o Código de Defesa do Consumidor.

Melhores do teste:
Dentre os produtos para uso familiar, o SBP foi o que apresentou o melhor desempenho, protegendo por até 5 horas contra o mosquito Aedes e Culex, além de cumprir extamente o tempo de proteção declarado no rótulo.

No caso dos produtos infantis, o Jonhsons Baby apresentou os melhores resultados, protegendo por 4 horas contra a picada dos mosquitos Aedes e por quase 5 horas contra o Culex, também cumprindo o tempo de proteção descrito no rótulo.



 

 
Cadastro de Jornalista  
   
   
« voltar  


   Clicknotícia® by Comunicativa    Política de Privacidade Desenvolvimento: Webcompany®