Campinas/SP - Quarta, 17 de julho de 2019 Agência de Notícias e Editora Comunicativa Ltda.  
 
 
  home
  comunicativa
  profissionais
  publicações
  clientes
  projetos
  entrevistas
  baú de notícias
  clippings
  galeria de fotos
  ensaios
  extra pauta
  cadastre-se !
  contato
Digite a expressão que deseja buscar
Cadastre-se e receba, por e-mail, as últimas do ClickNotícia.


Rua Alberto Belintani, 41
Telefone: (19) 3256-4863
Fax: (19) 3256-9059
CEP: 13087-680
Campinas-SP

 

"LUGAR DE CRIANÇA É NA ESCOLA. NÃO AO TRABALHO INFANTIL"  


Desde 2008 a Comunicativa passou a atuar no mercado de comunicação com características próprias de Agência de Notícias e Editora. Como Agência ela se propõe a levantar informações de interesse jornalístico, na macro região de Campinas, espontaneamente ou por demanda para difundí-las através do site www.clicknoticia.com.br. Como Editora ela coloca à disposição de instituições públicas ou privadas o seu corpo de profissionais para produção de publicações jornalísticas nas mídias hoje disponíveis. Ao conhecer a empresa e suas necessidades no setor de comunicação, podem ser sugeridas novas ferramentas através da elaboração de um Plano de Comunicação, incluindo jornal para os funcionários, publicações institucionais ou específicas para os clientes, abastecimento de sites, entre outras. Esse trabalho é pautado pelos critérios técnicos e a ética das notícias e suas conseqüências. A Comunicativa foi criada como prestadora de serviços jornalísticos em abril de 1996 em função da demanda de profissionais capacitados para interrelacionar o segmento corporativo e os veículos de comunicação jornalística. Fones: (19) 3256 4863 / 3256 9059


»
Baú de Notícias
» Galeria de Fotos

» Clipping

   


18/06/2019 - O TRT-15, por intermédio do Comitê Regional de Erradicação do Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem, mantém parceria com o Santuário Nacional de Aparecida na luta para conscientizar a sociedade da importância de se preservar a infância.

CARTA DE APARECIDA

DIA MUNDIAL DE COMBATE AO TRABALHO INFANTIL – PELA ELIMINAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL - 12 DE JUNHO

O trabalho infantil ainda é realidade no Brasil e atinge, basicamente, crianças e dolescentes pobres. Muitas famílias enviam seus filhos para o trabalho precoce, com o pensamento de que é melhor trabalhar do que roubar ou que o trabalho afasta crianças e adolescentes do mundo das drogas. Essa falsa ideia precisa ser rechaçada e denunciada. Defensores desse tipo de pensamento destroem a esperança de um futuro melhor para nossas crianças e adolescentes. Toda criança e todo adolescente possuem o direito à educação e à qualificação profissional, que possam garantir-lhes um futuro digno, com remuneração digna e acesso aos direitos básicos, como saúde, lazer, alimentação adequada e habitação.

O envio de crianças e adolescentes ao mercado de trabalho serve para perpetuar a pobreza, na qual eles já estão inseridos. Crianças e adolescentes nessa situação abandonam a escola e recebem salários inferiores aos dos adultos. Muitas vezes, inseridos dentro das piores formas de trabalho, nas ruas ou nas casas, vítimas da exploração sexual e do tráfico de drogas. Tais crianças e adolescentes são oriundos, em muitos casos, de famílias nas quais os pais foram também vítimas de trabalho infantil e encontram-se desempregados. Essas famílias são compostas por membros de baixa ou nenhuma escolaridade, com renda inferior ao salário mínimo nacional.

O Brasil possui ferramentas para enfrentar de modo adequado o trabalho infantil. É preciso que o Sistema de Garantia de Direitos, tal qual delineado pela Resolução n. 113 do CONANDA, composto por representantes do Estado, da Sociedade Civil e por Organizações Não Governamentais, atue em rede para criar estratégias e programas, que possam fazer frente a essa realidade, a fim de buscar um atendimento direcionado a cada família vítima do trabalho infantil.

Cada município tem o dever de organizar a rede de proteção local, inserir famílias carentes nos programas sociais e encaminhar crianças e adolescentes às iniciativas educacionais, culturais, de lazer e esporte disponíveis, garantindo a essas crianças e adolescentes a educação em tempo integral, que os mantenha salvos de qualquer violação ou exploração, preparando-os adequadamente para o futuro.

A Igreja acompanha passo a passo o crescimento da sociedade moderna, ajudando-a a enfrentar os difíceis desafios que nasceram das constantes e profundas transformações. À luz do evangelho, ela não pode deixar de iluminar as consciências, quando um indefeso ou vulnerável passa por situações que afetem sua dignidade como pessoa humana. A Igreja diz claramente que a “praga” do trabalho infantil solapa o direito das crianças e adolescentes de se desenvolverem plenamente e agride sua dignidade como pessoa humana. Uma criança e/ou um adolescente, que são colocados, antes da hora e de forma inadequada, no mundo do trabalho, ficam prejudicados em seu crescimento e desenvolvimento. Sua dignidade como pessoa, direito inalienável, é afetada. E se a dignidade da pessoa humana é afetada, é necessário denunciar e apontar caminhos para o problema.

A dignidade da pessoa humana deriva de o homem e a mulher serem “Imagem de Deus”. O fundamento da moralidade de todo agir social consiste no desenvolvimento humano da pessoa e individua a norma da ação social na correspondência ao verdadeiro bem da humanidade, no empenho de criar condições que permitam à pessoa atuar em sua vocação integral. A vocação primeira da pessoa é desenvolver-se de acordo com sua idade.
Nesse contexto, animados pela fé em um Deus, que “está no meio de nós”, não podemos cair na tentação da resignação, acomodando-nos na mediocridade ou sendo indiferentes a essa realidade. A fé que professamos deve ser forte para manter viva a esperança e sustentar nossa capacidade de denunciar qualquer abuso aos vulneráveis. Ao mesmo tempo, nossas comunidades devem estar abertas à solidariedade aos pais, que precisam de alternativas, para que seus filhos possam estar na escola e não trabalhando.
Por menos trabalho infantil e mais dignidade para a criança e para o adolescente!

Assim, conclamamos para que todos as instituições, órgãos públicos e entidades se unam no trabalho de conscientização sobre os malefícios do trabalho infantil e, com a intercessão de Nossa Senhora Aparecida, se engajem definitivamente na luta pela erradicação dessa ignominiosa chaga social.
Lugar de criança é na escola: diga não ao trabalho infantil!

Aparecida-SP, 12 de junho de 2019.


 

 
 
   
   
« voltar  


   Clicknotícia® by Comunicativa    Política de Privacidade Desenvolvimento: Webcompany®