Campinas/SP - Quarta, 21 de agosto de 2019 Agência de Notícias e Editora Comunicativa Ltda.  
 
 
  home
  comunicativa
  profissionais
  publicações
  clientes
  projetos
  entrevistas
  baú de notícias
  clippings
  galeria de fotos
  ensaios
  extra pauta
  cadastre-se !
  contato
Digite a expressão que deseja buscar
Cadastre-se e receba, por e-mail, as últimas do ClickNotícia.


Rua Alberto Belintani, 41
Telefone: (19) 3256-4863
Fax: (19) 3256-9059
CEP: 13087-680
Campinas-SP

 

VALINHOS ATENDE MORADORES DE RUA COM ACOLHIMENTO  


Desde 2008 a Comunicativa passou a atuar no mercado de comunicação com características próprias de Agência de Notícias e Editora. Como Agência ela se propõe a levantar informações de interesse jornalístico, na macro região de Campinas, espontaneamente ou por demanda para difundí-las através do site www.clicknoticia.com.br. Como Editora ela coloca à disposição de instituições públicas ou privadas o seu corpo de profissionais para produção de publicações jornalísticas nas mídias hoje disponíveis. Ao conhecer a empresa e suas necessidades no setor de comunicação, podem ser sugeridas novas ferramentas através da elaboração de um Plano de Comunicação, incluindo jornal para os funcionários, publicações institucionais ou específicas para os clientes, abastecimento de sites, entre outras. Esse trabalho é pautado pelos critérios técnicos e a ética das notícias e suas conseqüências. A Comunicativa foi criada como prestadora de serviços jornalísticos em abril de 1996 em função da demanda de profissionais capacitados para interrelacionar o segmento corporativo e os veículos de comunicação jornalística. Fones: (19) 3256 4863 / 3256 9059


»
Baú de Notícias
» Galeria de Fotos

» Clipping

   


12/07/2019 - Homens receberam apoio para superar dificuldades e reconstruir suas vidas

Aos 39 anos, o pedreiro Carlos Eduardo Geremias renasceu, após uma longa guerra contra o crack que o arrastou para as ruas, longe dos filhos e da família. Aos 63 anos, o segurança Adail Aparecido Oliveira reencontrou seu lugar depois de quase dois anos morando dentro do seu carro, estacionado sob uma árvore. Os dois homens conseguiram deixar para trás os dias e noites de escuridão com a ajuda dos programas de atendimento oferecidos pela Prefeitura de Valinhos a moradores em situação de rua.

O programa faz parte do plano de ação da administração do prefeito Orestes Previtale, para oferecer amplo atendimento a essa população, priorizando a criação de oportunidades. Geremias e Oliveira são dois casos de atendimento bem sucedido registrados pelo Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas) de Valinhos, coordenado pela Secretaria de Assistência Social, entre outros casos de sucesso.

Os dois homens procuraram ajuda do Seas para deixar as ruas e receberam uma nova chance de refazer suas vidas. No mês passado, foi lançada a campanha “Não Dê Esmola, Dê Cidadania” justamente para conscientizar os moradores sobre a forma correta de ajudar pessoas em situação de rua. "A campanha propicia também visibilidade para as ações efetivas mantidas para lidar com a questão, que atinge todo o País”, disse a secretária de Assistência Social, Dulce Maria de Paula Souza.

Eduardo Geremias

Geremias nasceu em Campinas, mas mudou-se para Valinhos com a família. Começou a usar crack aos 14 anos e tem uma trajetória de idas e vindas no uso da droga, com diversas recaídas. Ele conta que teve uma infância conturbada, principalmente após a morte do seu pai, Hélio Geremias, que sempre foi seu melhor amigo e morreu de problemas pulmonares.

O pedreiro teve quatro filhos, mas rompeu os vínculos com a família em consequência do uso do crack. Ficou um ano vivendo nas ruas de Valinhos. Há cerca de três meses, conheceu o Seas e procurou atendimento, disposto a escrever um novo capítulo em sua história. Desde então, está em atendimento na Casa de Passagem e Acolhimento Joapiranga e recebe tratamento contra a dependência química em uma instituição de Vinhedo.

Segundo o coordeandor do Seas, Alex Dias Marcondes, a instituição na qual Geremias está recebendo tratamento participa do convênio do governo federal, Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas (Febract), que destina aos munícipios cotas de internações para tratamento de dependentes químicos.

Ainda em tratamento, Geremias passou a trabalhar como ajudante terceirizado na Casa de Passagem e Acolhimento Joapiranga. No local, ele recebe pessoas que chegam e as incentiva a mudar de vida, explicando que isso só é possível quando o morador em situação de rua aceita buscar e receber ajuda.

Na Casa de Passagem Joapiranga, Geremias, assim como os outras pessoas que saíram das ruas, conta com apoio de um vizinho, o aeronauta Sérgio Rocha, 59 anos. Morador do Joapiranga há 20 anos, Rocha contou que conheceu o local logo quando foi aberto. “Costumo vir aqui às vezes para conversar com as pessoas, apoiar a iniciativa e as ações realizadas, como a horta e o cuidado com os animais. Aliás, creio que seja muito importante a presença dos cães e recomendada pelos profissionais da saúde na ressocialização das pessoas”, comentou Rocha.

Geremias disse que se apoiou no real desejo e na fé Deus para deixar as ruas. "Foi um pedido sincero de ajuda, com a esperança de ter uma nova chance", disse. Sobre o futuro, o pedreiro quer se aprimorar no trabalho, voltar à socialização e, sobretudo, reencontrar seus quatro filhos, uma menina 12 anos, outra de 8 anos, um menino de 7 anos e a filha mais nova de 1 ano e sete meses.

Adail Oliveira

O segurança Adail Aparecido Oliveira, 63 anos, veio para Valinhos ainda jovem, casou-se e criou seus três filhos no bairro Morada do Sol. Após se desentender com a ex-mulher, acabou morando dentro de seu carro, estacionada sob uma árvore em uma rua na entrada do bairro.

“Fui colocado na rua pela minha própria família após desentendimentos com minha ex-mulher, com quem vivi 48 anos. Sobrevivi graças à ajuda de amigos e vizinhos que sabiam da minha vida aqui no bairro e conheciam a minha história”, contou Oliveira, conhecido como senhor Adail.

Sem perspectiva, depois de 1 ano e 9 meses morando na rua, Adail foi surpreendido por uma carta deixada no para-brisa do seu carro pelo coordenador do Seas, Alex Dias Marcondes. Ele quis conhecer o Serviço, onde buscou ajuda e recebeu todo o apoio necessário para voltar a ter uma vida com dignidade.

“O coordenador Alex deixou uma cartinha no vidro do meu carro e sugeriu que eu buscasse ajuda. Foi o que fiz e deu certo. Passei a contar com vale-transporte, cadastro único para o acesso ao Programa Bolsa Família, assistência jurídica para tratar sobre a questão do meu divórcio e para me aposentar, pois tenho problemas na coluna e no joelho, e ainda encaminhamento para tratamento na rede de saúde”, enumerou.

Oliveira saiu da rua e ocupa um espaço independente na casa de uma família no Morada do Sol. Animado, explica que tem uma cama para dormir, banheiro e cozinha. Ele conta com a ajuda da família que o abrigou, o casal Maria Helena e Jair Rodrigues, e da filha Roselene. Segundo Roselene, o que falta muitas vezes para pessoas em situação de rua é apoio. "É preciso estender a mão e amar o próximo, oferecendo uma oportunidade para mudar de vida”, disse.


Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS)

O Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS) atende os moradores de rua de Valinhos no antigo Centro Comunitário do Boa Esperança. A equipe que coordena o projeto faz no local escuta qualificada, busca ativa, mantém contato permanente com a população de rua e oferece também banho e alimentação, além do encaminhamento para outras políticas públicas.

A ação faz parte do Plano Municipal de Atendimento a Moradores em Situação de Rua que a Prefeitura implementou em 2018 na cidade.

Serviços oferecidos:

- Abordagem Social da população em situação de rua
- Escuta e triagem qualificada
- Orientações sobre direitos e serviços públicos
- Encaminhamentos para serviços da rede socioassistencial
- Encaminhamento para serviços de outras políticas públicas (saúde, educação, segurança e outras)
- Fornecimento de benefícios eventuais: passagem para recâmbio, auxílio para a emissão da segunda via de documentos
- Fornecimento de banho, lanche, local para lavar roupas, vale transporte, elaboração de currículo
- Ações de fortalecimento ou restabelecimento dos vínculos familiares

Onde fica: Rua Teresa Von Zuben Angareten, 15, Vila Boa Esperança


Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS)

O CREAS oferta serviços especializados e continuados a famílias em situação de ameaça ou violação de direitos, como violência física, psicológica, negligência, abandono, situação de rua, trabalho infantil, práticas de ato infracional, fragilização ou rompimento de vínculos, afastamento do convívio familiar, violência sexual, entre outros.

Também executa o Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI), o Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida (LA) e o serviço de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC). A equipe é formada por assistentes sociais, psicólogos e monitores sociais para disponibilizar acolhida, escuta, orientação, construção de plano de atendimento, orientação jurídico-social e encaminhamentos para a rede de serviços.

Onde fica: Rua 31 de Março, s/nº, na Vila Boa Esperança.


Casa de Passagem e Acolhimento Joapiranga

Serviço de acolhimento institucional para adultos de ambos os sexos em situação de rua situado no bairro Joapiranga. O abrigo é destinado a pessoas em situação de rua em fase de reinserção social. Possui regras e tempo de permanência limitado. Tem como objetivo desenvolver condições para a independência e o autocuidado. Com estrutura para atender homens, mulheres e famílias.

Onde fica: Alameda Itaipu, 451, Bairro Joapiranga


Lei para contratação de moradores em empresas que prestam serviço ao Município

Foi sancionada a LEI Nº 5.804, de março de 2019, que prevê a contratação de cidadãos em situação de rua por empresas vencedoras de licitação pública em Valinhos. Terão direito ao benefício os cidadãos em situação de rua que preencham os requisitos profissionais para o trabalho e estejam há pelo menos 90 dias em casa de acolhimento cadastrada na Assistência Social. Informe-se pelo telefone 156.


Plano Municipal Intersetorial para Atendimento a Pessoas em Situação de Rua

Resultado das reflexões e discussões de Grupo de Trabalho criado pela Prefeitura em abril de 2018, o plano foi elaborado após debates com a sociedade civil para ajustes e complementações necessárias. Os encontros foram efetuados com vários segmentos da sociedade entre eles:

Conselhos municipais;
Grupos religiosos;
Comércio;
Indústria;
OAB;
Vereadores;
Secretários municipais e técnicos municipais

Dessa maneira, foram inseridas no documento as propostas de todas as áreas de maneira a garantir um processo democrático com a participação dos diferentes segmentos da sociedade e das políticas executadas pelas secretarias municipais. O Plano é direcionado para pessoas que sobrevivem nas ruas, e não para as pessoas que diariamente frequentam as ruas, porém, voltam para suas casas no período noturno.

 

 
 
   
   
« voltar  


   Clicknotícia® by Comunicativa    Política de Privacidade Desenvolvimento: Webcompany®